sábado, 23 de julho de 2011

Piada? Não. Realidade!


Salário, soldo, pagamento
Remuneração ou mixaria
São palavras que designam
O dinheiro de cada dia.

Espera-se um mês inteiro
Para pegar o que é justo
Porém, o que pegamos
Não cobre o nosso “custo”.

É como gestação-problema
Que exige ser acompanhada
E lá pelo dia 30
Merece uma examinada.

Entrando na internet
Podemos então consultar
E ver o que poderemos
Deste salário esperar.

Assim, nos damos conta
Da interrupção da gestação
Pois, o “Feto” está incompleto
Falta-lhe uma “proporção”.

E quando chega o dia marcado
Para o grande nascimento
O pobre do funcionário
Inicia o seu tormento.

Com tantas contas para pagar
E pouco dinheiro para dividir
O coitado só pode chorar
Ou então, sentar e sorrir.

Mas o dilema não termina
E ainda maltrata o coitado
Para comprovar o óbito
Depois vem o atestado.

Com o tempo serão muitos
Podendo formar um leque
Feitos de atestados de óbito
Chamados “contracheque”.

Professora Neila Bilhalva Ribeiro

Nenhum comentário: